Conhecendo o Perfil Comportamental e o Potencial de sua Equipe

Sabemos que as pessoas são bem diferentes uma das outras. Ou seja, onde existem pessoas, precisamos saber lidar com suas esperanças, emoções, apelos, expectativas, desejos, alegrias,  necessidades, motivações, desmotivações, tristezas, aborrecimentos, constrangimentos, ansiedades, raivas, passividades, interesses, falta de interesse, agressividades, medos, hostilidades, frustrações, egos, enfim, a lista de emoções continua… E também, precisamos saber lidar muito bem, com honestidade, justiça, verdade, poder, ordem, inteligência, humor, falsidade, engano, fraqueza, transparência, integridade, e mais… senso de valores pessoais positivos e negativos.

Um dos maiores desafios dos gestores diante desse quadro de crise, estão também relacionados às diferenças de expectativas de cada colaborador, dificuldades de comunicação e a cultura da própria empresa. Pois, para inspirar a equipe, em primeiro lugar, é preciso gostar de pessoas e saber lidar muito bem com o tipo de perfil de cada uma delas.

Então procure respeitar as individualidades de cada colaborador, acompanhar e ver as dificuldades de forma positiva, mas sem deixar os erros de lado. Um Líder facilitador, multiplicador e inspirador é aquele que busca o melhor para a sua equipe, que ouve cada colaborador e reconhece as suas individualidades.

Apenas uma observação: Não confunda a quantidade de tempo que você dedica a um funcionário com a qualidade dele (desse tempo). É preciso estar realmente presente e demonstrar interesse. Fale menos, ouça mais e tente entender o que cada um precisa. É o que rotulamos de: 'FALA QUE EU TE ESCUTO'.

Portanto, em um ambiente tão competitivo como é o corporativo, em que detalhes diferenciam uma pessoa da outra, o conhecimento comportamental e o potencial de cada um dos colaboradores pode e deve ser observado e acompanhado pela liderança. Da contratação à demissão. Essa pratica auxilia nas decisões, resultados e consequentemente o fortalecimento da liderança, bem como o da empresa como um todo.

>> ALGUMAS RAZÕES para a liderança conhecer cada vez mais não só o perfil comportamental, mas também o potencial de cada um de sua equipe:

> Gestores que conhecem o perfil comportamental, bem como o potencial da sua equipe conseguem extrair melhores resultados;

> As equipes apresentam melhor clima organizacional;

> Gestores que tem conhecimento comportamental e também o potencial de suas equipes aumentam a sua habilidade para gerir pessoas, não decidem às escuras;

> Líderes que conhecem o perfil comportamental e o potencial dos seus colaboradores podem oferecer Feedback mais objetivo e assertivo;

> Gestores que tem esses conhecimentos de suas equipes demitem menos do que os que não conhecem.

Na verdade, um "Líder" que não conhece bem a sua própria equipe adota sempre as mesmas estratégias com todos os membros da equipe, sendo essa muitas vezes uma das principais causas de desmotivação, descontentamento e conflitos. São os chamados de 'GESTORES GAIVOTAS', aqueles que apenas interagem com os funcionários quando há um incêndio para apagar.

Cada um é cada um - Não existem soluções milagrosas para a equipe como um todo. Para pensar em estratégias, é preciso respeitar a individualidade, os apelos, o estilo e a maturidade profissional de cada colaborador.

Enfim, a liderança é sem duvida uma construção de confiança. Saber quem são as pessoas da equipe, o que elas gostam e sonham para a vida é uma forma de demonstrar que elas são especiais. Isso abre caminhos para a construção de um relacionamento duradouro e de confiança. Isso também faz parte de uma das obrigações da boa e verdadeira Liderança.

Lembre-se: O atual momento do país provoca uma sensação geral de insegurança em relação à vida profissional. Para um Líder, isso não é diferente, pois ele também está sob pressão e ainda precisa “segurar as pontas”. Este é o momento dos gestores usarem a inteligência, bem como o equilíbrio emocional para incentivar e motivar ainda mais a equipe. Reflita e pratique!!!

NOTA: Como o clipe exposto recentemente em 19/04 pela Revista Exame, que pergunta: Você conhece bem seus funcionários - não apenas seus interesses e hobbies, mas também qual o potencial de cada um deles?

Para ler a matéria, acessar o link abaixo:
http://exame.abril.com.br/videos/dicas-para-empreendedores/por-que-voce-deveria-conhecer-melhor-seus-funcionarios/
LEIA O ARTIGO COMPLETO

Estou Subindo ou Descendo? Invista em Você Mesmo. Você é a sua Melhor Marca!!!

Queira ou não "somos uma mercadoria”, temos qualidade e valor e devemos estar sempre que possível nos aperfeiçoando, nos reciclando, investindo em nós mesmos, tentando cada vez mais superar as exigências do mercado e principalmente saber promover, ou seja, divulgar quem somos, nossa qualidade, nosso valor, nosso diferencial em relação aos "concorrentes", o que temos e o que podemos oferecer. “Antes de tudo, você se vende”. Pois a primeira impressão é a que sempre acaba ficando para as pessoas.

Todo o cuidado com a imagem que você passa para as pessoas principalmente hoje em dia, é fundamental . Sua postura, aparência, uma simples palavra, fraca entonação de voz, um simples gesto, um procedimento, uma simples atitude ou até mesmo um comentário qualquer, pode alem de comprometê-lo(a), refletir positiva ou negativamente para sempre em sua vida profissional. Tome muito cuidado para não se vulgarizar. Em um mundo tão competitivo, a necessidade de estar na vitrine, de ser visto e percebido, é permanente.

O profissional em geral que deseja alçar vôo em sua carreira, alem de investir cada vez mais em si mesmo, busca melhoria continua. Por isso, nunca deixe de investir no conhecimento. Participe de cursos, treinamentos, workshop, seminários. Organize estudos, assine revistas e mantenha-se informado de todos os assuntos concernentes a sua profissão e principalmente em relação a tendências do mercado. Numa época dessa conhecimento vale ouro. Quem tem conhecimento tem PODER. 

Treinar custa caro. Logo, as empresas entendem que não é o momento de gastar recursos treinando alguém. O problema é que, quando a crise passar, a empresa estará com uma mão de obra desatualizada e provavelmente envelhecida. O ideal seria seguir treinando trabalhadores para, lá na frente, ter gente com conhecimentos oxigenados. Então, não fique esperando, invita em você mesmo

A crise econômica no Brasil tem aos poucos aumentado o nível de desemprego. Especialistas são unânimes ao afirmar que a tendência é que a taxa de desemprego aumente ao longo do ano de 2016. Diante de tal cenário ficam as perguntas: "- Como tentar defender meu emprego?"; "- Como evitar uma possível demissão em um eventual corte de gastos por parte da empresa?". Pois na hora de cortar gastos, as empresas demitem os funcionários mais acomodados, desatualizados e/ou com baixo poder de inovação.

Por outro lado, em momentos de crise, as empresas buscam funcionários inovadores e atualizados, dispostos a utilizar novas técnicas para melhorar os resultados. Funcionários que estudam, se reciclam e estão atualizados mostram ser os mais aptos a ajudar as empresas a contornar este momento de crise, portanto são os que conseguem defender seus empregos em tempos de crise.

É bom ressaltar também que, fora toda essa problemática de crise, vivemos em uma economia competitiva, interconectada, que muda rapidamente. Então, tenha muita vontade de crescer e aprender cada vez mais. Lembre-se, que todo dia é uma oportunidade de começarmos de novo, com a vantagem de usarmos toda a experiência que tivemos até o dia anterior.

Nós somos um produto de muito valor. E o que quero dizer com isso? Assim como mercadorias e serviços, as nossas competências e as habilidades que possuímos são os nossos melhores talentos.

Conheço muita gente que fica esperando que a empresa ou que outras pessoas lhes forneçam os meios e recursos para que aprendam mais, para que cresçam mais. Isso é um grande erro. Por este motivo, mais uma vez, insisto em dizer: Invista em você mesmo. Esta é uma responsabilidade e um dever somente seu. Pois ninguém investe em pessoas que não investem em si próprias em primeiro lugar. Por menos recursos que tenhamos, é preciso que disponibilizemos dinheiro, tempo e energia para nos aperfeiçoarmos. Você pode e deve economizar em qualquer coisa, menos na qualidade e investimentos, principalmente quando se refere a você mesmo.

Pergunte a si próprio: "- Estou subindo ou descendo?"; "- Tenho investido o bastante em mim mesmo?"; "- Acredito que valha a pena investir em mim?"; "- Tenho me aperfeiçoado profissionalmente, por minha própria conta?"; "- Busco constantemente esse aperfeiçoamento?"; "- Estou acomodado?".

Na verdade, hoje em dia para ser ultrapassado ou atropelado, não precisa ficar parado e sim manter o mesmo ritmo. Ou seja, invista em você mesmo, pois quem para de crescer, já começou a retroceder.

Lembre-se: Quem não investe em si próprio perde o direito de reclamar dos outros não investirem em sua pessoa. Geralmente temos a péssima mania de culpar, pelo nosso fracasso, as circunstancias, nossa empresa e tudo mais. Não fique reclamando, murmurando, se lamentando e esperando alguém fazer alguma coisa por você. Tome a iniciativa. Pois quem deve investir em você é você mesmo. Seus anseios de uma possível promoção, bem como, sua sobrevivência ou até mesmo sua permanência no mercado de trabalho depende exclusivamente de uma pessoa – VOCÊ. Reflita e pratique!!!
LEIA O ARTIGO COMPLETO

Gerente Genérico. Isso Hoje Já Era!!!

Hoje, quem não tem competência para liderar uma equipe com eficiência e eficácia, alem de colocar tudo a perder, tem poucas chances de crescer e até mesmo de permanecer no emprego e no mercado. No cenário atual, diante desse quadro econômico tremendamente recessivo, não há mais espaço para 'GERENTES GENÉRICOS', gerentes medianos e/ou gerentes de baixa performance. Ou seja, não adianta culpar somente a crise, nem tão pouco mascarar suas atitudes e comportamentos. Ou você é de fato um Gerente Líder ou está simplesmente como gerente através de seu cargo. Em outras palavras, ou você é um Gerente de Marca,
ou está totalmente fora do contexto.
      
Muitas vezes a estagnação das vendas, a grande rotatividade (turnover), a perda de atendentes, vendedores e funcionários talentosos, problemas até mesmo como de furto e tantos outros que acabam se transformando em onerosos processos trabalhista, devem-se a baixa performance dos que “comandam” as equipes. Isso acontece com frequência, por varias razões, entre elas a falta de preparo e o acomodamento em seus “cargos de chefia”, mesmo diante desse quadro econômico.

Hoje no varejo, o alvo mais do que nunca, é sem duvida, a melhoria contínua das equipes, baixar custos e aumentar cada vez mais a rentabilidade para enfrentar e manter-se nesse mercado recessivo e ao mesmo tempo, competitivo e acirrado. Para isso, torna-se cada vez mais necessário, aqueles que lideram, estarem capacitados e preparados para o dia a dia. Caso contrário, cenas iguais ou piores a esta, serão mais e mais frequentes. Pois o desinteresse e a falta de estimulo acabam contaminando toda equipe, colocando em risco a produtividade e os resultados esperados.

Lamentavelmente muitos gerentes ainda têm o perfil de “chefe”. Gastam praticamente todo seu precioso tempo se preocupando somente no operacional, em saber se o pessoal vai chegar no horário, se a arrumação da loja está OK, se o caixa foi fechado corretamente e outras coisas do tipo.

A função de gerente nunca foi tão exigida como é hoje -  Na verdade, em momentos como esse que estamos vivenciando, espera-se muito mais hoje em dia daqueles que ocupam cargos de chefia. Espera-se que esses venham nos surpreender através de atitudes inovadoras e que consigam, independentemente das circunstancias e adversidades, estimular e contagiar cada vez mais suas equipes e o próprio público. Afinal, como sempre falamos: Liderar hoje em dia é mais cérebro do que músculo. Ou seja, não basta somente dar ordens. É preciso motivar e inspirar a equipe. Pois líderes existem para mover as pessoas para um resultado futuro desejado.

Gerenciar uma equipe é muito mais do que simplesmente dar ordens, apontar o dedo, mandar fazer. Gerenciar na realidade é motivar e estimular constantemente. É quando você dá e mostra aos seus comandados, mesmo diante de crises e das adversidades do dia a dia, os verdadeiros motivos e causas para se firmar num determinado trabalho, objetivando alcançar resultado e metas estabelecidas.

Muitos chefes que se dizem gestores e/ou líderes, os quais costumo denominá-los de 'GENÉRICOS', olham mais, ou somente para os defeitos. Esses se deparam, achando que nada de bom pode vir daquele liderado.

Achar que os colaboradores devem se adaptar ao estilo do líder é um erro muito comum. O líder eficaz é aquele que conhece os pontos fortes e fracos de cada membro de seu timeAssim, aloca-os nas funções que melhor desempenham e cuida para que desenvolvam seus pontos fracos.

Muitas empresas ainda cometem um erro primário na escolha de seus gerentes. É brincadeira o que se ver por aí! Na verdade, vejo ainda muitos equívocos nas empresas que promovem, sem nenhum treinamento específico, o melhor vendedor a gerente. Não que isso não possa acontecer, mas em muitos casos PERDE-SE O MELHOR VENDEDOR E SE GANHA O PIOR GERENTE. Pois são duas funções distintas. Uma realiza e outra motiva e inspirar outros a realizar.

Por este motivo, que na maioria das vezes, gerentes sem preparo algum são chamados e reconhecidos como 'gerentes gaivotas', aqueles que apenas interagem com seus funcionários quando há um incêndio para apagar.

Podemos dizer também que gerenciar é igual a Construção de Confiança. Ou seja,saber quem são as pessoas da equipe, o que elas gostam e sonham para a vida é uma forma de demonstrar que elas são especiais. Isso abre caminhos para a construção de um relacionamento duradouro e de confiança. Isso também faz parte de uma das obrigações de um Gerente Líder, principalmente na atual conjuntura.

Como já falamos, devido a crise e consequentemente a diminuição no consumo, as exigências do mercado em relação a um Gerente Líder são cada vez maiores. Possuir credibilidade, por exemplo, junto a seus liderados passou a ser fator imprescindível e de alta relevância, e muito difícil de ser conquistado.

Como líder, o gerente é quem direciona o trabalho. É comum associar sua personalidade com o estilo da loja e das pessoas com as quais trabalha. 'Gerente bom, loja e equipe excelentes.  Gerente médio ou regular, tudo beira à mediocridade, vendas, resultados, futuro e etc...'.

Como sabemos, o gerente é responsável pelo clima motivacional da loja, cujas atitudes refletem no comportamento da equipe. Ninguém produz com satisfação se não estiver consciente da importância do que faz e comprometido com a causa da empresa. Mas para isso, você gerente, precisa cada vez mais ser treinado e capacitado pela empresa.

Você pode ser até muito bom tecnicamente e operacionalmente, mas de nada adianta você ter um cargo de chefia se não souber liderar, ou seja, influenciar, motivar e estimular as pessoas com quem trabalha. Muitas pessoas exercem liderança, influenciando os outros, mesmo não sendo chefe.

Parece não haver nenhuma dúvida de que o Gerente de Vendas é pessoa chave numa empresa. As suas funções são tão múltiplas e importantes que todas as empresas buscam, com todo o empenho, encontrar o profissional ideal para esse cargo.

Enfim, uma das coisas mais perigosas hoje em dia no varejo é o gerente despreparado. Continuo observando que uma grande parte daqueles que estão a frente das equipes tem baixíssimo nível de leitura e pouca predisposição para aumentar seus conhecimentos (não gostam de ler – alegam que nunca tem tempo). Não podemos nunca esquecer, que para podermos ensinar é fundamental que nos preparemos antes.

Lembre-se: Com ou sem crise, nas adversidades ou não, para conquistar o sorriso e a satisfação de nossos clientes, precisamos primeiramente ganhar tudo isso de nossos colaboradores. Aqueles que fazem parte de nossa equipe. Reflita e pratique!!!


Acesse o link abaixo para ler também - Um NÃO ao Vendedor Genérico:

http://www.artedevender.com.br/2015/02/a-arte-de-atender-e-vender-um-nao-ao-vendedor-generico.html



LEIA O ARTIGO COMPLETO

POSTURA - Seu Corpo Fala Por Você!!!

Se você quer entender melhor uma pessoa, não escute somente suas palavras, observe mais atentamente seu comportamento, pois o Corpo Fala. Esteja você onde estiver, se candidatando a uma vaga ou até mesmo exercendo um cargo e/ou uma função qualquer, tome sempre cuidado com a imagem que você passa, pois ela pode alem de comprometê-lo(a), refletir positiva ou negativamente por muito tempo ou até mesmo para sempre em sua vida profissional.

O corpo fala pelos gestos, deflagra nossos verdadeiros sentimentos e preocupações. Às vezes, nem com um milhão de palavras conseguimos transmitir fielmente uma mensagem. Em outros casos, no entanto, um simples piscar de olhos ou qualquer outro gesto, pode ser suficiente para denunciar muita coisa. A palavra pode até mentir, mas o corpo não.

A linguagem corporal é, muitas vezes, mais precisa do que a verbal, pois é controlada por impulsos inconscientes, ou seja, não temos domínio sobre elaMuitas vezes as atitudes e comportamentos (POSTURA) dizem mais do que qualquer discurso. Podemos dizer que a boa Postura é parceira da boa educação que recebemos desde cedo.

Pesquisas mostram que 93% da mensagem pessoal é comunicação não verbal, ou seja: Palavras 7%; Qualidade da voz 38%; Postura 55%. Enfim, a POSTURA é o primeiro grande impacto. Na verdade todo o processo de apresentação e reconhecimento praticamente dependerá sempre dela!

Tome sempre cuidado com a imagem que você passa para as pessoas. Sua aparência, uma simples palavra, um simples gesto, um procedimento, uma simples atitude ou até mesmo um comentário qualquer, pode alem de comprometê-lo(a), refletir positiva ou negativamente por muito tempo ou até mesmo para sempre em sua vida profissional.

==> “ANTES DE TUDO, VOCÊ SE VENDE, OU SEJA, AS PESSOAS PRECISAM COMPRAR VOCÊ".

A imagem, através de sua Postura,  é tão importante que pode influenciar numa contratação e/ou em um negócio. Ela, através de seu visual (aparência), suas atitudes e comportamento nos faz confiar ou desconfiar daquilo que está sendo oferecido. Na verdade a POSTURA é uma das mais fortes ferramentas de seu Marketing Pessoal.

Queira ou não, o que mais desperta a atenção inicial, alem do visual é seu comportamento através de sua Postura. Dizemos que esse conjunto é o primeiro grande impacto, o mais eficaz cartão de visitas, 'o abre alas'.

É bom ressaltar que não é só a vestimenta que conta, as atitudes, comportamentos e a linguagem corporal também dizem muito sobre você.

Apenas uma observação: Postura também tem haver com elegância. É o que chamamos de 'A Elegância do Comportamento'.

Essa qualidade pode ser mostrada em diversos aspectos: Na maneira de se vestir, em como falar, nas atitudes em geral. Ser elegante no comportamento sempre atrai. Tal característica ajuda a conquistar e demonstra também maturidade.

Enfim, o maior diferencial entre um bom funcionário e um mediano é justamente o seu comportamento através de sua Postura dentro e fora do ambiente de trabalho. Ou seja, o sucesso de sua carreira dependerá de objetivos a serem traçados por você, os quais deverão estar alinhados aos objetivos de sua empresa. Mas estes só poderão ser atingidos com Ética e Postura Profissional no seu dia-a-dia.

Lembre-se: Engana-se quem pensa que a carreira bem sucedida é feita apenas de talento e trabalho duro, mas sua Postura pode ajudar ainda mais ou comprometer de vez sua imagem e consequentemente seu Marketing Pessoal. Pois é aquele velho e antigo ditado: "A primeira impressão é a que sempre acaba ficando para as pessoas". Reflita e pratique!!!


NOTA: Se você exerce um cargo de chefia, o buraco é mais embaixo,
em se tratando de Postura Profissional.
LEIA O ARTIGO COMPLETO

O Mar Não Está Pra Peixe!!!

Tem menos peixe, então você tem que saber pescar melhor, ou seja, "O Mar Não Está Pra Peixe!!!". Essa talvez seja a expressão mais utilizada nas organizações, seja micro, pequena, média e de grande porte. Refiro-me ao cenário econômico o qual não está nada bom. A crise continua aí batendo na nossa porta. Então pergunto: "-Você está mesmo preparado para enfrentá-la? Principalmente você, micro, pequeno e médio empresário está pronto para enfrentar o que está acontecendo e o que ainda está vindo por aí? Com que armas?". Pois fique sabendo: Ainda sim o momento é fértil para ideias salvadoras. Na realidade, é na crise que surgem as grandes e as mais incríveis oportunidades.

Em tempos de crise, as pessoas ficam mais criteriosas na hora de consumir algum produto ou serviço. O mercado consumidor passa por constantes transformações, os clientes mudam seus hábitos de consumo e buscam por custo de oportunidade (abrir mão de um bem em prol de outro)

Inflação subindo, taxa de juros do Banco Central mais alta, restrição do crédito, aumento da inadimplência, crescimento do desemprego, diminuição da renda média e queda no PIB do país. Como não se assustar com essas manchetes, cada vez mais comuns no noticiário. Esse cenário é assustador principalmente se você trabalha na área comercial que, muitas vezes, tem seu desempenho afetado por notícias como essas.

Em épocas como as que estamos vivendo atualmente, é muito comum ouvir as pessoas dizerem que não estão indo bem “por causa da crise” ou porque a “economia não está ajudando”. O fato é que se você analisar, mesmo em mercado recessivos, muitas empresas ainda conseguem crescer. Qual é o diferencial delas? Por que elas não estão culpando a crise? A resposta está na preparação que elas tiveram antes de a crise acontecer. O crescimento real não acontece de uma hora para outra, e sim passo a passo – independente do mercado.

Se sua empresa não está vendendo é porque tem algo errado em sua gestão. É melhor avaliar sua competência e desenvolver suas habilidades do que ficar culpando somente a crise. Seja ousado, crie alternativas. Pois se o cliente não vai até você encontre um jeito de chegar até ele.

Em momentos difíceis, os que estão mais preparados não ficam com medo das dificuldades, pois sabem como enfrentá-las. Esse é o período em que as empresas que fazem um trabalho sério se destacam.

==> Segue um conjunto de dicas para você refletir:

A- Pensamento Positivo - Na verdade muito se fala de pensamento positivo como forma de motivar as pessoas. Porém, a verdade é que o sucesso do seu trabalho está diretamente ligado à maneira com que você encara as coisas, principalmente as dificuldades. O pensamento positivo nos dá um maior controle emocional e segurança em nossas ações. Por outro lado, pensar negativamente em momentos difíceis, ou seja, no período que você mais precisa superar um obstáculo não irá te levar a obter resultado algum, muito pelo contrário nos impulsiona cada vez mais para trás. Enfim, manter uma atitude positiva não significa menosprezar as dificuldades, é uma questão de ter consciência da situação difícil, mas com confiança de que é possível superá-la.

B- Em tempos difíceis, o Líder precisa ser uma referência de positividade para sua equipe. Se o líder começar a perder energia, passar a achar que não vai dar certo, contaminará a equipe imediatamente.

C- O gestor é quem lidera e quem direciona a equipe. Por isso, em tempos de crise, é imprescindível que ele tenha positividade e confiança. Se ele se desesperar, achar que está tudo perdido e ficar nervoso, isso afetará diretamente seu time – o que só vai piorar a situação.

D- Nessa época mais conturbada, o gestor precisa buscar equilíbrio para ser uma referência para sua equipe. Sabemos que não é tarefa fácil, já que a pressão e as dificuldades aumentam.

E- Liderança não é um concurso de popularidade. Seu papel como líder é apontar a melhor direção, defendendo os interesses do grupo, e não interesses pessoais.

F- “Dê a alguém um peixe e essa pessoa terá comida naquele dia. Ensine-a a pescar e ela terá comida durante toda a vida”. Sr. Gestor, o que você faz no dia a dia para diferenciar sua equipe de vendas da concorrência? De que adianta, destapar os olhos dos colaboradores, se quem os lidera continua vendado.

G- Qual será a sua visão diante do mercado recessivo? Baixar a meta ou buscar formas diferentes de alcançá-la? As respostas para essas perguntas separam profissionais de alta performance dos profissionais de comuns, de baixa performance.

H- Economia indo bem, economia indo mal, sempre tem empresa crescendo. Lembre-se disso e faça parte desse grupo mesmo com a crise.

I- Manter-se ativo - Para se manter ativo durante a crise não basta apenas buscar novos clientes, é preciso criar ações para fidelizar quem já compra com você.

J- Aumente a frequência de contato com seus clientes para fortalecer o relacionamento. O contato não deve ter apenas viés comercial, mas sim informativo e educativo, para criar um elo com seu público. Isso vai ajudar a manter sua marca na mente do cliente.

K- Venda mais mix! Além do que os seus clientes atuais já compram, avalie se há mais itens do seu portfólio que poderiam servir para eles. Não é tempo de perder oportunidades!

L- Os clientes estão mais exigentes e a concorrência mais acirrada. Para se destacar, você precisa de um diferencial além do preço. A excelência no atendimento é o melhor caminho para isso. Você tem treinado sua equipe para enfrentar essa crise?

M- Quanto menor for a carteira de clientes do vendedor, melhor ele conseguirá gerenciar seus consumidores, vender o mix e se comunicar com eles. Analise de perto as carteiras dos profissionais da sua equipe e não deixe que elas cresçam demais.

N- Não reclame, faça a sua parte - Muita gente reclama que o governo não toma as atitudes necessárias para conter a crise. Mas será que você, aí em sua empresa, está tomando as decisões importantes para enfrentar o mercado recessivo?

O- Para equilibrar a perda de clientes durante uma crise econômica é necessário prospectar clientes. Em tempos de crise, além de cuidar da base de clientes, é preciso também ir atrás de novos clientes.

P- Ao invés de sair para uma pesca desarvorada aos clientes, planeje e realize uma prospecção focada, pensando no seu perfil de cliente ideal. Para entender qual é este perfil, liste os seus cinco melhores clientes e enumere as características que eles têm em comum.

Q- Perda parcial - Talvez essa perda parcial de clientes durante a crise seja até uma coisa boa se você souber trabalhar bem a prospecção focada no cliente ideal.

R- Lutar por um cliente difícil - Em determinados momentos, vale mais a pena lutar por um cliente difícil que realmente trará resultados efetivos, do que ganhar vários clientes que não contribuirão em nada para o seu crescimento.

S- A perda de alguns clientes durante a recessão pode ser uma coisa boa. Esse é um excelente momento para permitir a rotatividade natural e, aí, quando for prospectar, procurar clientes que tenham o perfil exato que você quer.

T- Atrair clientes é igual pescar peixes. O bom profissional de vendas sabe exatamente qual isca jogar. Você precisa de isca certa, ferramentas certas e conhecimento para saber como e o momento de jogar. Pois o que você acha que seu cliente quer nem sempre é o que realmente ele quer. Saiba qual isca seu "peixe" quer!!!

U- Não coloque todo o peso dos resultados sobre suas costas. Crie um comitê com os grandes líderes da empresa e tomem decisões em conjunto.

V- Não foque apenas no trabalho operacional. Separe um tempo para pensar com calma nas estratégias necessárias para fortalecer sua equipe.

X- Cuide da sua alimentação, da sua saúde psicológica, emocional e física. Se você vai ser a referência de energia positiva esse ano, precisa estar bem como pessoa.

Z- E para finalizar. É nossa obrigação como Profissionais de Vendas que somos vender bem mesmo na adversidade.

Enfim, que o comércio está vivenciando uma situação critica todo mundo já sabe. Porém existe uma realidade dura que devemos enfrentar, que é o fato de ter que vender independente do mês ou período do ano e até mesmo dessa situação de crise, mesmo porque a manutenção do nosso emprego está firmada nos resultados. Não podemos chegar em casa e dizer: "- Filho! Hoje você não vai comer porque o papai não vendeu nada!".

Dificuldades existem e temos que estar preparados para superá-las sem grandes transtornos. A maneira com que analisamos os percalços da vida é que nos faz grande e maduros, seja em qualquer área de nossa vida.

Por isso, nunca deixe de investir no conhecimento. Organize estudos, assine revistas e mantenha-se informado de todos os assuntos concernentes a sua profissão e principalmente em relação a tendências do mercado. Numa época dessa conhecimento vale ouro

Treinar custa caro. Logo, as empresas entendem que não é o momento de gastar recursos treinando alguém. O problema é que, quando a crise passar, a empresa estará com uma mão de obra desatualizada e provavelmente envelhecida. O ideal seria seguir treinando trabalhadores para, lá na frente, ter gente com conhecimentos oxigenados. Então, não fique esperando, invita em você mesmo

Hoje, curso superior se transformou em 2º grau, ou seja, é pré-requisito em qualquer empresa, da mesma forma podemos interpretar um profissional de vendas que não se qualifica quanto a um extremamente qualificado e sempre em processo de aprendizagem.

Lembre-se: Se eles não compram o jeito é vender! A missão agora é "PESCAR O CLIENTE", fazendo uma excelente abordagem, encantando e estimulando a consumir. Mais do que nunca, essa é atual tarefa do pessoal que trabalha no comércio em geral. Muito treinamento, disposição e criatividade. Reflita e pratique!!!

NOTA: Leia também o Artigo = A Ordem agora é Garimpar, Prospectar Clientes
LEIA O ARTIGO COMPLETO

Liderar pela Razão ou Emoção. A escolha é sua!!!

Pessoas mentalmente fortes sabem que as únicas coisas que podemos controlar na vida são os nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos, e que todo o resto está fora de controle. Portanto, elas se concentram em aprender sobre seus pensamentos, sentimentos e padrões de comportamento e como melhorá-los. Elas sabem que o sucesso na vida é consequência disso.
Do que adianta "produzir" profissionais afinados tecnicamente e operacionalmente, se emocionalmente estão despreparados e vulneráveis?
Diante de uma decisão, é melhor seguir a lógica, a razão ou o coração?

A emoção é algo que nos faz agir geralmente por impulso. Esta mesma emoção em muitos casos pode causar grandes prejuízos afetando negativamente nossa produtividade e imagem no trabalho, bem como na vida pessoal. Do que adianta “produzir” profissionais afinados tecnicamente, se emocionalmente estão despreparados e vulneráveis?

No trabalho, assim como nas relações que mantemos em nossa vida privada e social, saber reconhecer e lidar com as emoções é um processo continuo e diferencial. O controle das emoções é muito importante para a vida pessoal e profissional de cada indivíduo.

Muito da cultura emocional de uma organização tem a ver com aquela que é transmitida pelos seus superiores, dirigentes, supervisores, gerentes e lideranças em geral. Saber atuar quando pressionado não é apenas uma competência a ser buscada. Dependendo do trabalho que você desempenha esta será a diferença entre vencer ou perder.

Podemos dizer que possuímos duas mentes, consequentemente, dois tipos diferentes de inteligência. Racional e Emocional.

Evite que as emoções levem a decisões que piorem o problema - Todos nós que lideramos já passamos por isso, deixar levar-se pelos impulsos da emoção sem analisar a situação. Equilíbrio emocional é fundamental no exercício da função de liderança.

Tomar decisões faz parte do nosso dia a dia. Quantas vezes deixamos nossas emoções agir pela razão e depois paramos e dizemos: "-O que foi que eu fiz?".

Mas será que essas empresas estão realmente preocupadas com isso? Na realidade o que de fato faz uma empresa se destacar frente a outra são as pessoas, os funcionários e principalmente seus gestores, através de seus conhecimentos, habilidades e principalmente nas atitudes em relação às suas decisões. Esse conjunto acaba agregando valor a empresa.

Como já falamos, lidar com gente, tornou-se a mais importante das habilidades para um gestor obter bons resultados hoje em dia. Em função disso as empresas estão valorizando cada vez mais aqueles profissionais que conseguem trabalhar sobre pressão e demonstram equilíbrio emocional em momentos decisivos. Empregadores escolhem, frequentemente três vezes mais, pessoas com Inteligência Emocional a pessoas com habilidades técnicas (QI elevado). Por isso, o controle das emoções, autoconsciência e a capacidade de se motivar são temas muito importantes que devem ser considerados.

Lembre-se: A Inteligência Emocional no trabalho é o uso inteligente das emoções, ou seja, fazer intencionalmente com que suas emoções trabalhem a seu favor, usando-as como uma ajuda para ditar seu comportamento e seu raciocínio de maneira a aperfeiçoar suas decisões. A Inteligência Emocional, bem como o Equilíbrio também Emocional, nunca foram tão exigidos principalmente dos gestores atualmente. Reflita e Pratique!!!


NOTA: Uma recente pesquisa da Consultoria TalentSmart, mostrou que o QE (Quociente Emocional) de um profissional pode ser até mais importante para seu sucesso do que o celebrado QI (Quociente de Inteligência), principalmente quando ele ocupa cargo d Liderança.
LEIA O ARTIGO COMPLETO

Independente de Tudo. Eu Amo Vender!!! - Parte 2

O que representa para você ser um vendedor? Você gosta de se relacionar com pessoas? Sente prazer em resolver os problemas dos clientes? Acorda feliz e disposto para ir trabalhar, mesmo diante dessa crise e com tantos outros problemas de seu dia a dia? Pensa no sucesso do cliente antes do seu? Se as respostas forem positivas, você é um apaixonado por vendas. O vendedor que tem paixão por vendas demonstra crença no seu produto e/ou serviço, na empresa que representa, na sua proposta e, principalmente, nele mesmo.

Há quem pense que vender é apenas atender o cliente, tirar o pedido, ou seja, trocar mercadorias por dinheiro. Vender é bem mais que isso e os bons vendedores sabem muito bem disso. Na realidade, a melhor venda é sempre aquela na qual o cliente entra com um problema, compra uma solução e sai com satisfação. Saber que tempo nobre do vendedor é o tempo em que ele está na frente do cliente.

Vender, na verdade, é resolver problemas, atender interesses, oferecer benefícios e vantagens e principalmente ajudar e orientar muito bem ao cliente na busca daquilo que irá satisfazê-lo. Ao contrário do que geralmente se pratica, vender é entender mais de GENTE do que de produto e/ou serviço, é compreender mais as necessidades dos clientes do que dos atributos dos produtos e serviços. Ou seja, vender é mais relacionamento humano do que conhecimento técnico. É saber na verdade o que se passa no coração e na mente de cada cliente.

Em cada ação de venda existe um componente afetivo e é esse ingrediente que fará da venda uma experiência memorável para o cliente. Essa experiência memorável é a melhor ação de marketing que uma empresa pode fazer.

Um bom vendedor é aquele que consegue fazer de seu trabalho a alegria e felicidade de muitos. Na verdade, independente de crise ou qualquer outro tipo de situação adversa, o verdadeiro e genuíno vendedor, além do amor e da paixão do que faz, tem gosto de lidar com pessoas de forma natural, autêntica e sincera. Tem prazer em servir as pessoas. Ele sai da contramão, anda com o cliente e, quando os resultados começarem aparecer, ele sente uma enorme satisfação, ou seja, seu trabalho passa a ser uma grande fonte de prazer e não um castigo.

O genuíno Profissional de Vendas continua acreditando, independente da situação, que sempre é capaz. O verdadeiro e genuíno trabalho de vendas tem que ser executado com muito entusiasmo. Além do amor e da paixão do que fazem, esses profissionais, independente das circunstancias e daquilo que a empresa oferece, tem gosto e prazer de forma natural, autêntica e sincera em servir as pessoas.

Por outro lado, precisam também desenvolver e gerenciar emoções, suas e dos clientes e facilidade para conviver com divergências e dominar a principal arte de atender. O Relacionamento.

A relação Vendedor x Cliente é similar à relação Médico x Paciente - Esse último é aquele com quem você tem paciência ou "deveria ter". Paciência, atenção, cuidado, carinho, observação, questionamento, simplicidade, facilidade, entendimento, conjunto, interesse verdadeiro.

Essas habilidades o credenciam a detectar com perfeição as preferências do cliente no instante que ele coloca o pé na loja. Olho no olho você vai logo descobrir que tipo de produto ou serviço oferecer e qual a melhor linha de argumentação utilizar. O bom profissional acumula experiência, cresce e aprende sempre. Nunca se nega a novas informações. Não para no tempo. Pois a mente que se abre a novas ideias e conhecimentos jamais voltará ao seu tamanho original.

Outra genuína habilidade desse tipo de profissional é colocar a mão na massa também. Aproveitar aqueles intervalos de pouco movimento para executar algumas tarefas burocráticas e operacionais da loja, maçantes, mas necessárias. Atualizar-se sobre a posição do estoque, a fim de saber as opções que pode oferecer aos clientes. Rever suas argumentações, descobrir novos benefícios dos produtos, conhecendo-os cada vez melhor e imaginar saídas para possíveis objeções.

O profissional de vendas do século XXI e principalmente aquele que sente amor e paixão pelo que faz, não vende simplesmente. Esse, negocia, estimula e viabiliza a compra. Não empurra produtos como faziam seus colegas do passado. Vibra com a oportunidade de poder prestar seus serviços profissionais para os clientes concretizarem seus sonhos. O fechamento é certo e consequência dessa metodologia de trabalho.

Hoje em dia, principalmente, o vendedor sabe que a venda não acontece por acaso, por isso mesmo ele está cada vez mais comprometido com sua própria reciclagem contínua, com o aprender, com novas tecnologias e conceitos. Ele sabe que terá muito pouco ou quase nada a dar ao cliente para estimulá-lo e encantá-lo. Ele, mais do que ninguém, sabe que não poderá ser o "médico de família" que o cliente quer ter e em quem quer confiar.

Lembre-se: Na venda ou em qualquer outra função, atuar com o espírito genérico não está com nada! Enquanto você não sentir prazer pelo que faz, seu trabalho continuara desgastante, cansativo, chato e penoso. “Em vendas não existe vitória e nem conquista sem preparação, perseverança, determinação e principalmente entusiasmo”. Se apaixone por vendas e o sucesso estará ao seu alcance — Sentir prazer e orgulho em vender é o primeiro e o mais importante passo que o vendedor deve dar para chegar ao sucesso. Reflita e pratique!!!

NOTA: Aquele que vende apenas por vender não o fará por muito tempo ou, se persistir na função, não terá resultados visíveis em sua própria vida. Já o vendedor apaixonado, independente da situação, quer progredir, crescer, nunca fica satisfeito, sabendo que na próxima vez conseguirá vender mais e melhor. “O progresso na vida e na carreira do vendedor é o sinal de sua paixão pela venda e pelo produto e/ou serviço vendido. Quando não há progresso e o vendedor sente-se à vontade com isso, é certo que alguma coisa está errada".
LEIA O ARTIGO COMPLETO

Independente de Tudo. Eu Amo Vender!!! - Parte 1

Inflação subindo, taxa de juros mais alta, restrição do crédito, aumento da inadimplência, crescimento do desemprego, diminuição da renda média e queda no PIB do país. Esse cenário é realmente assustador, principalmente se você trabalha na área de vendas que, muitas vezes, tem seu desempenho afetado por notícias como essas. Então, por mais difícil que seja o momento e a situação que estejamos passando, não podemos deixar nunca de acreditar. Não desanime, não desista e nem tão pouco fique contando com a sorte. Ou seja, não espere ter as condições ideais para fazer o que tem que ser feito. Nós, que amamos vender, através de nossas atitudes de verdadeiros profissionais de vendas, é que temos que criar tais condições de fazer as coisas acontecerem de darem certo. Ainda que haja apenas 1% de chance, vale à pena continuar acreditando que é possível VENDER. 

Você pode não contar com a formação acadêmica em vendas, mas precisa adaptar-se às adversidades conjunturais e aos diversos comportamentos, características individuais de cada cliente e estar preparado para não se deixar vencer nos momentos de insucesso. Precisa também aprender a conviver com a cobrança diária do seu gerente e renovar a confiança em si próprio, para elevar a sua autoestima e finalmente, entender que se o dia de ontem não foi coroado de êxito, nada impede que o de hoje o seja. E se o dia anterior foi um sucesso, o de hoje precisa ser ainda melhor, pois cada dia na atividade de vendas é sempre um novo desafio.

Portanto, é preciso preparo e uma grande dose de perseverança, motivação e muito entusiasmo. A cada não definitivo, continuar sorrindo e dialogando, como se tivesse tirado o pedido. O principal é: não se sentir derrotado pelo "NÃO" - seguir em frente sempre em busca do "SIM"Nenhum "não" tem poder para lhe fazer desistir, mas sim para poder lhe fazer refletir em seus métodos, procedimentos e atitudesÉ proibido admitir que "não é fácil". Esta é a lei do ofício de uma das mais vibrantes e apaixonantes profissões do mundo.

Um vendedor não se deixa abater pelas adversidades. Não desiste jamais! Um bom profissional de vendas está sempre comprometido com sua própria reciclagem contínua, com o aprender, com novas tecnologias e conceitos, caso contrario terá muito pouco ou quase nada a dar ao cliente para estimulá-lo e encantá-lo. E isso hoje, com todos esses problemas que estamos vivenciando, é o que acaba fazendo a grande diferença.

O genuíno vendedor, ou seja, aquele 'NÃO GENÉRICO', ama e tem prazer no que faz, sabe que precisa ver e encarar o seu trabalho um pouco diferente que a maioria dos outros profissionais. Ele sabe que precisa ver oportunidades em quase tudo, tem que acreditar no seu sucesso e que sempre é possível vender. Além de tantos outros problemas, precisa saber lidar bem com o estado de espírito, as emoções e as objeções de cada cliente, estar disposto a longas jornadas de trabalho e, ainda assim, agir com cara boa, entusiasmo e bom humor. Porém, é preciso saber que trabalhar muito não garante, por si só, o sucesso, mas trabalhar certo, sim.

Na verdade, um bom vendedor sabe que a sua função é facilitar e tornar a vida de seus clientes melhor. Ele sabe que muitas vezes, os clientes odeiam que lhe vendam coisas, mas adoram comprar, daí o fato do vendedor de sucesso funcionar como facilitador. Ele sabe que não basta ser um bom vendedor é preciso ser um ótimo consultor de vendas, mais preocupado em conquistar e fidelizar relacionamentos do que em ganhar uma comissão.

Enfim, nada vem sem esforço, dedicação ou preparação. Na realidade, não há êxito algum em vendas sem treinamento, sem perseverança, obstinação e paixão. Nada é de graça, tudo tem um preço. Sempre foi assim. Principalmente hoje em dia devido a atual conjuntura, o que acaba gerando uma competição tremendamente acirrada. Entretanto, pouco você poderá fazer se não for o primeiro a acreditar em você mesmo e que você é capaz de realizar, de vender.

Então, não espere ter as condições ideais para fazer o que tem que ser feito. Faça já! A vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego por cada uma de suas conquistas.

Por mais difícil que seja a venda, não deixe nunca de acreditar. Não desanime, não desista e nem tão pouco fique contando com a sorte. Porque sorte em vendas é quando a competência encontra com a oportunidade. E, caso essa não exista no momento, temos que criá-la.

Uma dica: Mesmo que você esteja de passagem na área de vendas, enquanto estiver, procure trabalhar e atuar com perfil de um verdadeiro e genuíno vendedor e agir como tal. Faça valer à pena. Acredite em você e faça acontecer! Ao invés de reclamar quando o relógio despertar olhe para o espelho, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia e por ter um trabalho a sua espera.

Em resumo: Você não precisa trabalhar na melhor empresa, nem tão pouco na melhor loja, mas tem que se esforçar para sempre ser o melhor na sua função como vendedor. Toda a diferença sempre estará em você. Mas, caso você não esteja fazendo o que gosta, acordar pela manhã e se preparar todos os dias para o trabalho, vai se tornar uma tarefa cada vez mais difícil. Pois como já falamos, quem enxerga o trabalho como uma obrigação penosa certamente tem muito mais dificuldade para conseguir bons resultados.

Lembre-se: Alcançar o sucesso e ter reputação como vendedor dependerá inteiramente das suas habilidades pessoais e técnicas em querer vencer as adversidades, problemas econômicos, a resistência dos clientes, comunicar-se com eles, satisfazer suas necessidades e desejos e conquistá-los para sempre. O dia em que o coração do vendedor não for capaz de vibrar com sua profissão, será seu fim. Reflita e pratique!!!
LEIA O ARTIGO COMPLETO